quinta-feira, 23 de fevereiro de 2006

Meteorologia




A meteorologia é a ciência que estuda os fenômenos da atmosfera terrestre e a atmosfera de outros planetas.
A palavra meteorologia vem do grego "meteoro" que significa "aquilo que flutua no ar". A meteorologia é a ciência que estuda os fenômenos atmosféricos. É propriamente a ciência atmosférica ou ciência da atmosfera.
Um dos principais objetivos operacionais da meteorologia é a previsão do tempo. A previsão do tempo é definida para diferentes escalas temporais (minutos, horas, dias, meses, anos etc) e espaciais (microclimas urbanos, previsão regional, continental e global).
O prognóstico ou previsão de fenômenos do tempo, principalmente do tempo severo, como tempestades e pancada de chuva intensas, é muito importante para toda uma gama de atividades humanas. Por exemplo, nas grandes cidades do mundo fenômenos meteorológicos críticos acabam por definir as condições de salubridade e qualidade ambiental de cada local. Entre esse fenômenos listam-se: as inundações, as estiagens , as condições críticas de temperaturas extremas, em geral associadas a baixos valores de umidade relativa do ar, os eventos críticos de poluição do ar quando a concentração do polutentes supera valores aceitáveis para a saúde humana, animal e vegetal, etc.

A Meteorologia estuda a atmosfera em sua inter-relação com as outras esferas do planeta: a biosfera, litosfera, criosfera e hidrosfera. A camada atmosférica em que a maioria dos seres vivos da terra e do ar vivem é chamada também homeosfera, porque nela a convecção térmica e a turbulência, encontrada na troposfera homogeneizam as frações em volume dos gases atmosféricos, principalmente nitrogênio e oxigênio.
A atmosfera terrestre é distinta de outras no sistema solar pela presença de quantidades significativas de vapor d’água e de oxigênio. O oxigênio da atmosfera terrestre não está em equilíbrio químico com os outros materias de superfície terrestre. Isso se deve a presença de vida vegetal na Terra. De forma diferente em Marte praticamente todo o oxigênio disponível na atmosfera oxidou os materias da superfície deste planeta, daí a cor avermelhada da superfície e também o que é espantoso, a ausência de formas de vida macroscópicas ou facilmente identificáveis pelo sensoriamento remoto.
As áreas principais da ciência atmosférica são:

1: Climatologia (climatologia de grande-escala,climatologia física, e urbana)
2: Dinâmica atmosférica (equações básicas, conservação da vorticidade potencial)
3: Termodinânica atmosférica (estabilidade de parcelas de ar quente e frio)
4: Microfísica de precipitações (formação de chuvas, granizo, cristais de gelo, neve, nevoeiro)
5: Hidrometeorologia (balanço hídrico sobre superfícies naturais e antrópicas, previsão de tempestades severas, tornados, ventanias, tempestades de raios, furacões, etc.)
6: Instrumentação e sistemas de medição atmosféricos, (radares, redes de observação em diferentes escalas)
7: Agrometeorologia (balanço hídrico em plantações, controle de irrigação, manejo integrado de pragas agrícolas, produtividade de safras, etc)
8: Biometeorologia (efeitos da poluição no homem, animais e plantas, efeitos do clima sobre vegetação e biodiversidade)
9: Paleoclimatologia (estudo dos climas no passado próximo e remoto)
10: Micrometeorologia (troca de fluxos de energia entre superfície e atmosfera )
11: Micrometeorologia
12: Camada limite planetária
13: Turbulência atmosférica
14: Dispersão de poluentes atmosféricos
15: Interação superfície-atmosfera (trocas de fluxos de calor e vapor de água, evapotranspiração, controle biofísiológico da transpiração vegetal, ciclo do carbono, etc)
16: Meteorologia aeronáutica e náutica (aviação civil e militar, construção de aeroportos, portos marítimos, previsão da energia das ondas oceânicas)
17: Meteorologia sinótica ( Previsão do tempo )
18: Meteorologia de latitudes médias
19: Meteorologia tropical
20: Simulação computacional da atmosfera em diferentes escalas espaço-temporais (simulação escoamentos atmosféricos médios e turbulentos, simulações de alto desempenho, resolução espacial e temporal, processamento sequencial, vetorial, paralelo e distribuído)
21: Sensoriamento remoto (por satélites, radares, perfiladores, lasers...) da atmosfera e da superfície
22: Radiação atmosférica (interação da radiação eletromagnética com a matéria do ar)
23: Química da atmosférica e da poluição do ar (poluentes primários e secundários, fotoquímicos, balanço cinéticos e condições de não equilíbrio químico na atmosfera etc).
Para a aviação, a meteorologia é indispensável, pois ela é quem favorece as decolagens e os pousos em segurança. De acordo com os boletins meteorológicos, os aeroportos mundiais podem fornecer aos pilotos e passageiros a segurança de um vôo tranquilo, com ausência de turbulências e chuva, que constituem grandes percalços à segurança de quem voa. Numa viagem internacional é muito comum mudar-se de clima muito bruscamente. A meteorologia procura deixar navegadores de sobreaviso a essas mudanças, para que no caso de uma emergência eles possam tomar as devidas providências com tempo suficiente para que não ocorram desatres. Além do fator segurança, a meteorologia provê aos aeronavegadores, informações acerca das camadas atmosféricas, sobre como atingí-las sem maiores riscos. Muitas aeronaves atuais atravessam diversas dessas camadas e é importância entender como elas funcionam e as reações que cada uma causa ao corpo humano e ao aparelho que a atravessa. O esquema seguinte mostra como as camadas atmosféricas se compõe sobre a terra:
Por fim, a aviação deve à meteorologia o estudo sobre as formações e os tipos de nuvens existentes. Como os aviões comerciais geralmente encontram muitas delas pelo caminho, e como dentro de muitas delas existem turbulências, entender os mecanismos que as regem é extramamente importante. A meteorologia prevê com antecedência as nuvens que devem ser desviadas pelos pilotos, as que devem ser ignoradas e as que devem ficar acima ou abaixo do avião.
Tipos de Nuvens

Em termos de catalogação existem cerca de 20 tipos diferentes de nuvens, no entanto, as nuvens podem ser classificadas grupos, como o grupo das Cumulus, que são formadas por nuvens chamadas cumulus e suas derivadas como a cumuloninbos e as altocumulos. Existem diversos grupos. As principais nuvens e alguns subgrupos são os seguintes:
Cumulus
Cirrus
Estratus
Autocumulus
Cumuloninbus

Cumuluscongestus
Pileus

Nenhum comentário:

Postar um comentário